2020 ano internacional fitossanidade

A Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou 2020 como o Ano Internacional da Fitossanidade, por sugestão da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Secretariado do International Plant Protection Convention (IPPC).

As plantas são a base de toda a vida na Terra e das funções do ecossistema. Elas produzem o oxigénio que respiramos. Fornecem mais de 80% da comida que comemos. Usamo-las para fazer roupa, abrigo, medicamentos e muitas outras coisas que são essenciais para as nossas vidas.

Mas as plantas estão sob ataque constante de pragas invasoras. Estas pragas podem danificar gravemente as culturas, as florestas e outros recursos naturais dos quais dependemos. A cada ano, causam bilhões de perdas em colheitas e receitas comerciais, além de dispendiosos esforços de erradicação. Na maioria das vezes, estas pragas são disseminadas pelas pessoas, especialmente através de viagens e do comércio internacionais.

O principal objetivo deste ano é proteger as plantas do mundo contra a propagação de pragas devastadoras, que podem causar danos ambientais e económicos significativos. Pretende-se mobilizar governos, indústrias, organizações, cientistas e a sociedade civil para promover práticas responsáveis que reduzam a sua propagação, desenvolver métodos inovadores e científicos para enfrentar estas ameaças e aumentar o apoio dos sectores público e privado a estratégias e serviços fitossanitários mais sustentáveis.

 

Mas como proteger a saúde das plantas pode ajudar a resolver os grandes desafios globais?

Ao proteger a saúde vegetal de pragas invasoras, ajudamos a aumentar a segurança alimentar, a reduzir a pobreza, a proteger o meio ambiente e a impulsionar o desenvolvimento económico.

Impulsionando a segurança alimentar

Um abastecimento alimentar suficiente e sustentável é necessário para aumentar a segurança alimentar e eliminar a fome. A FAO estima que as pragas invasoras prejudicam até 40% de todas as culturas alimentares a nível mundial a cada ano. Usando ciência, tecnologia e regulamentações, é possível retardar a disseminação de pragas nocivas que destroem as colheitas de alimentos e outros recursos que são críticos para a segurança alimentar a longo prazo.

Reduzindo a pobreza

Para a maioria dos países em desenvolvimento, a agricultura é uma fonte primária de rendimento. Os estudos demonstraram que o crescimento dos rendimentos agrícolas pode reduzir significativamente a pobreza. No entanto, as pragas invasoras podem ter efeitos devastadores sobre a agricultura e os recursos naturais e ao proteger as plantas contra as pragas, ajudamos a aumentar a produtividade agrícola e a melhorar os rendimentos rurais, reduzindo a pobreza.

Protegendo o meio ambiente e a saúde humana

As pragas invasoras são um dos principais fatores de perda de biodiversidade em todo o mundo. Quando uma praga é introduzida, pode competir pelos recursos com as espécies nativas, pois pode não ter inimigos naturais. Os surtos de pragas têm devastado as culturas ao longo da história e continuam a ameaçar a segurança alimentar hoje em dia. Ao evitar a propagação de pragas vegetais em novas áreas, ajudamos a preservar a variedade de espécies dentro de um determinado ecossistema. Os esforços para reduzir a propagação de pragas invasoras também podem ajudar a conter o uso de pesticidas, que afetam as abelhas e outros polinizadores. Uma ameaça à saúde das plantas é também uma ameaça à saúde e prosperidade das pessoas em todo o mundo, especialmente as mais vulneráveis.

Apoiando o desenvolvimento económico

O comércio local, regional e global de plantas e produtos vegetais é vital para muitas economias, especialmente nos países em desenvolvimento. Especialistas estimam que quase metade da população mundial depende principalmente da agricultura para obter rendimento, e que os países em desenvolvimento respondem por aproximadamente um terço do comércio global de alimentos e produtos agrícolas, mas as pragas causam perdas de bilhões por ano. Este comércio proporciona segurança de emprego e estimula o crescimento económico no sector agrícola do país exportador.

Assim, qualquer esforço para alcançar a visão estabelecida pela Agenda para o Desenvolvimento Sustentável de 2030 deve reconhecer a extrema importância da saúde das plantas. O Ano Internacional da Fitossanidade é essencial para aumentar a consciencialização, impulsionar ações concretas e, em última instância, contribuir para um mundo mais seguro, mais próspero e pacífico.

 

 

Para proteger é preciso conhecer…

Olá, Guia!

Sabes distinguir um pinheiro bravo de um pinheiro manso? Ou sabes distinguir um alho francês de uma cebola quando plantados? Ou sabes que as flores estão divididas por famílias? Ou ainda que há plantas em vias de extinção?

Aproveita as atividades e acampamentos deste ano para saberes mais sobre as plantas do nosso país. Recolhe folhas de árvores e outras plantas e constrói um herbário com todas as informações úteis.

A vegetação de Portugal é composta por uma diversidade de espécies atlânticas, europeias, mediterrânicas e africanas e de acordo com o Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB) foram encontradas cerca de 4000 espécies em Portugal continental e ilhas. Este é o ano privilegiado para as descobrir!

Boa Caça.

 

Partilhar esta notícia

Queres Ser Guia?

Formulário Queres Ser Guia

O Que Está A Acontecer
WAGGGS

wagggs

Av. Miguel Bombarda Nº 128, R/C Esq. 1050-167 Lisboa   |   Tel.: 217 938 227   |   Fax: 217 938 228   | 
 
Ver Política de Dados Pessoais.
 
Direitos de autor © 2020 Associação Guias de Portugal. Todos os direitos reservados.